Kaleydos

10 dicas para o seu próximo pitch!

Vox Capital orienta empreendedores a como expôr suas ideias a potenciais investidores

Da Vox Capital

Semana passada, realizamos a edição educação do Portas Abertas — no qual 6 empreendedores realizaram seus pitches. Neste processo, observamos que montar um pitch é muito mais complicado do que parece. Com o intuito que ajudar mais empreendedores a comunicarem melhor suas ideias, elencamos 10 dicas:

1 – Saiba quem é o seu público alvo

Antes de definir sua fala — entenda para quem será dada a apresentação.

2 – Sempre utilize a língua nativa da sua plateia

Evite usar gírias, termos, ou gráficos em outra língua — mesmo que sejam explicados depois.

3 – Use e abuse do Storytelling

Você começou a empreender para solucionar um problema seu, ou muito próximo de você? Comece o seu pitch com uma história, que traga a realidade do seu produto/serviço com clareza para o investidor. Uma história tornará a sua apresentação mais facil de ser lembrada no futuro. Porém, não conte uma história muito ensaiada, nos faça sentir na pele o seu problema e o poder da sua solução. Seja autêntico — seja você.

4 – Fale com imagens e textos curtos

Se você é uma pessoa que apresenta bem, tem confiança na sua presença de palco e não precisa de texto na apresentação para te lembrar o que falar: FALE COM IMAGENS. Use fotos, imagens e gráficos para ilustrar e suplementar a sua conversa com a plateia. Ter muito texto nos slides pode distrair a plateia e tirar atenção da fala oral. Costumamos dizer que cada slide convém o mesmo número de palavras que um post it.

5 – Apresente o problema e a solução — antes de mais nada.

O problema e a solução precisam rapidamente assimilados, para que o resto do pitch faça sentido. No caso de uma apresentação de cinco minutos, não espere até o terceiro minuto para deixar claro qual é o seu produto/serviço — você pode perder a plateia no caminho. Fale desde o princípio: “Nós entregamos X”

6 – Pense duas vezes antes de usar um dos termos do momento

Muito cuidado quando utilizar termos que estão na moda, como: big data, inteligência artificial, gamificação, etc. Se não for parte da sua proposta de valor, modelo de empresa, pode gerar mais perguntas do que criar confiança.

7 – Apresente para leigos

A sua solução, ainda que complexa, precisa ser facilmente explicada. O seu produto é muito técnico? Não existem coisas parecidas bem disseminadas no mercado? Tudo bem! Explique o conceito utilizando metáforas, ou exemplos relevantes que contextualizem o público leigo durante a sua explicação.

8 – Cuidado com a profundidade, são poucos minutos de pitch!

Sendo ou não técnico, tente não explicar o seu produto ou serviço em muitos detalhes. Se for útil, uma mini demonstração pode trazer um produto ou serviço à vida, mas não se perca no funcionamento detalhado ou na construção técnica do produto. Esse tempo pode ser melhor utilizado explicando: lucro, projeções, definição de mercado, proposta de valor, modelo de empresa etc.

9 – Nos contextualize.

Vai falar de percentuais? Estatísticas comparáveis? Use gráficos para pôr os termos em contexto — o que é muito? O que é pouco? Uma estatística sem contexto pode gerar mais perguntas que respostas.

10 – O que é plano e o que já é realidade?

O seu projeto já tem investimento ou parcerias com líderes no setor/indústria? Então comece com isso! Já vendeu em 20 dos estados brasileiros, já têm penetração de mercado X? Tenha orgulho disso e compartilhe com a plateia. A visão de futuro é importante, mas entender que vocês já possuem resultados mensuráveis adicionam valor ao pitch.

E finalmente: Divirta-se, se engaje, e não tenha medo — toda apresentação é um aprendizado, mas nunca se esqueça de vender o produto que você tem e não o produto que você gostaria de ter.

Redação Kaleydos

Assine nossa newsletter

Preencha os campos abaixo para receber nossa newsletter mensal.
E-mail *
Nome
Sobrenome
Organização
Cargo
*Campo obrigatório

1 comentário