Kaleydos
blockchain o que é

Blockchain: o que é e por que você deveria adotá-la em sua startup

Entenda como a tecnologia blockchain pode ajudar a escalar o seu negócio e a gerar impacto positivo na sociedade

Blockchain. O nome de uma tecnologia disruptiva e revolucionária. Capaz de gerar importantes impactos sociais e com grandes vantagens para negócios e empresas das mais diversas indústrias. Por isso, é também de especial interesse para negócios de impacto. Provavelmente, você já ouviu falar em blockchain. Mas sabe exatamente o que esta palavra significa? Do que esta tecnologia é capaz? E quais benefícios pode gerar para a sua empresa, em relação a lucratividade, escala e impacto? Ou como adotá-la em seu negócio? É isso que você aprenderá neste artigo. E, claro, incluímos seis casos de sucesso de startups de impacto que desenvolvem soluções baseadas nesta tecnologia.


Este é um artigo da série:


2017: o ano do Bitcoin, das criptomoedas e da blockchain

2017 foi o ano em que “blockchain” deixou de ter significado apenas para entusiastas da tecnologia e passou a ser conhecido por um público mais amplo. Isto se deve, principalmente, à sua associação indelével com a primeira e mais conhecida criptomoeda do mundo, o Bitcoin.

Claro, os meios de comunicação e o público em geral passaram a falar sem parar em Bitcoin devido à sua incrível valorização de 1.300% em 2017, quando saltou de um valor quase US$ 1 mil, em 1 janeiro, para US$ 13.500, em 31 de dezembro. E foi assim que testemunhamos uma verdadeira corrida do ouro digital. Em meio a essa “Bitcoinmania”, a tecnologia por trás desta e de outras moedas digitais foi sempre mencionada, mas muitas vezes sem o mesmo interesse e entendimento. Contudo, é justamente nela, a Blockchain, que está um grande potencial de revolução em diversos setores dos negócios e da economia.

Afinal, o que é blockchain?

Trata-se de uma tecnologia criada para servir de plataforma que suporta as transações do Bitcoin e de muitas outras moedas digitais (algumas usam outras tecnologias). Ela tem atraído entusiastas mesmo entre especialistas que são críticos em relação a criptomoedas. Alguns a consideram a inovação tecnológica mais importante desde a Internet. Isso se deve ao fato de que a tecnologia tem um número incalculável de aplicações, incluindo as comerciais, não necessariamente ligadas a moedas digitais. Para saber por que isso acontece, vamos começar do início e entender o que é blockchain.

Assista ao vídeo introdutório abaixo. Ele explica de maneira clara o que é blockchain, focando-se na sua função como infraestrutura do Bitcoin. A seguir, aprofundamos a explicação sobre esta tecnologia disruptiva, indo além das criptomoedas.

Entendendo mais profundamente

Blockchain é um registro/ livro-razão digital, ou ledger, público e descentralizado de transações e negociações.

Segundo a EnFin:

“pode ser utilizado em qualquer processo de troca ou registro de informações que representam valores para a sociedade”.

Este ledger não é armazenado em um único lugar. Em vez disso, seu armazenamento é distribuído entre todos os computadores conectados à rede (nodes). Cade node é um administrador da rede e junta-se a ela voluntariamente, tornando-a realmente descentralizada.

Este registro cresce à medida em que blocos de dados de transações mais recentes (blocks) são processados e incorporados em ordem cronológica ao registro/ cadeia de transações (chain). Os blocos cumprem um papel análogo ao de um extrato bancário e, a cada vez que um novo bloco é completado, outro é criado. Todos os blocos são conectados uns aos outros de forma linear e cronológica. Ela foi criada para tornar este registro permanente e imutável, usando criptografia avançada, à prova de invasões.

Verificar transações de moedas digitais não é a sua única aplicação possível. Ela pode ser usada para digitalizar, codificar e inserir praticamente qualquer documento, transação ou informação em um registro público, além de criar os chamados contratos inteligentes. E é nisso que estão as suas outras aplicações, que atraem a atenção de tantos empreendedores e investidores, como você verá mais adiante neste artigo.

Comparação útil: Blockchain e Google Docs

No site Blockgeeks encontramos uma analogia que ajuda na compreensão:

A maneira tradicional de compartilhar documentos com colaboração é enviar um documento em Word para outros destinatários e pedir a eles que façam suas revisões. O problema com este cenário é que você precisa esperar até receber uma cópia de volta, antes que você possa ver ou fazer outras mudanças porque você está impedido de editar até que a outra pessoa termine. É assim que bancos de dados funcionam hoje. Dois proprietários não podem mexer no mesmo registro ao mesmo tempo. É assim que bancos mantém transferências e saldos financeiros; eles bloqueiam brevemente o acesso enquanto fazem uma transferência, então atualizam o outro lado e depois reabrem o acesso (ou atualizam de novo). Com Google Docs (ou Google Sheets), ambas as partes têm acesso ao mesmo documento, ao mesmo tempo, e a versão única daquele documento é sempre visível a ambos. É como um ledger compartilhado, mas é um documento compartilhado. O aspecto distribuído surge quando o compartilhamento envolve várias pessoas.

Imagine a quantidade de documentos legais que poderiam ser usados dessa maneira. Em vez de passá-los de um para outro, perdendo o histórico das versões, e não sendo capazes de sincronizar com a outra versão, por que não podem *todos* os documentos de negócios ser compartilhados, em vez de transferidos repetidas vezes? Muitos tipos de contratos legais seriam ideais para este tipo de fluxo de trabalho. Você não precisa de uma blockchain para compartilhar documentos, mas a analogia de documentos compartilhados é poderosa. (tradução nossa).

À princípio hesitante, mercado financeiro abraça a blockchain

Inicialmente resistentes a esta tecnologia, as instituições financeiras começaram a perceber como blockchain pode gerar redução de custos, ao permitir que o back-office processe negociações, transferências e outras transações mais rapidamente.

Grandes empresas de setores diversos também investem em blockchain

Outras empresas tradicionais também demonstram interesse na tecnologia. Isso se evidencia com a criação da Enterprise Ethereum Alliance (EEA), a maior iniciativa de blockchain do mundo, que busca desenvolver uma tecnologia de nível corporativo, útil às mais diversas indústrias.

Entre outras organizações, fazem parte dela: Accenture, BBVA, Cisco, CreditSuisse, Deloitte, HP Enterprise, Intel, J.P.Morgan, Mastercard, Microsoft, Pfizer, Thomson Reuters, Samsung, Santander, Toyota Research Institute e UBS.

Vantagens da blockchain

Descentralização

Os registros não são propriedade de uma autoridade central e nem podem ser controlados por uma única pessoa ou organização. Cada node recebe uma cópia da blockchain em questão, que é baixada automaticamente. Isso significa que a rede opera em um sistema P2P (peer-to-peer, de um usuário para outro).

Transparência

Todas as transações são registradas publicamente na blockchain e podem ser checadas por qualquer indivíduo. Por exemplo, o site Blockchain.info oferece acesso a todo o ledger do Bitcoin. Estes registros não incluem informações pessoais dos seus usuários, mas é possível rastrear a origem de uma transação investigando-se os IPs. O que demonstra que a privacidade não é 100% garantida e que a ideia de que o Bitcoin é totalmente anônimo trata-se de um mito.

Contudo, algumas moedas digitais foram desenvolvidas com o fim de garantir total privacidade aos seus usuários, como é o caso do Monero e do Dash.

Dispensa intermediários

Uma vez que blockchains são redes P2P, as transações e negociações feitas por elas dispensam intermediários. Por exemplo, transferências financeiras podem ser processadas e armazenadas sem a intermediação de uma instituição financeira.

Segurança contra fraudes

Os registros de uma blockchain são permanentes, sem ponto único de falha e é virtualmente impossível que um único indivíduo os corrompa e modifique. Para que um cracker conseguisse alterar o registro, ele teria que ter, sozinho, 51% do poder computacional de toda a rede. Além disso, a autenticidade pode ser verificada por toda a comunidade que usa a blockchain e não apenas por uma única autoridade centralizada. É justamente devido a estas características que, em mais de 10 anos de existência, a rede do Bitcoin nunca foi invadida.

Redução de custos

Ao eliminar intermediários, blockchains agilizam operações internas de organizações, reduzindo custos, necessidade de pessoal, erros e atrasos. Uma nova oportunidade de economizar de forma escalável que tem sido aplicada a vários setores (veja abaixo). Mas que também vem eliminando empregos burocráticos por onde chega, uma conversa para outro momento, talvez…

Além das criptomoedas: novas aplicações para blockchains

Atualmente, o maior uso da blockchain está em serviços financeiros, de grandes bancos a pequenas instituições de microcrédito. Porém, como dito antes, suas possibilidades vão muito além e ela “pode ser usada para digitalizar, codificar e inserir praticamente qualquer documento, transação ou informação em um registro público, além de criar os chamados contratos inteligentes”, simplificando operações de negócios para todas as partes envolvidas, sem a necessidade de intermediários.

Por isso, a tecnologia tem atraído a atenção de diversos setores, como registros de propriedade e de direitos autorais, seguros, saúde, Internet das Coisas e muito mais. No setor público, também é possível aplicá-la para dar mais transparência e segurança às ações de governos e a eleições.

Na realidade, as suas aplicações potenciais são praticamente ilimitadas. Sendo uma tecnologia recente, muitas delas ainda estão em desenvolvimento ou em teste beta. Mas há cada vez mais investidores e startups envolvidos no seu desenvolvimento e produtos e serviços baseados em blockchain se tornarão cada vez mais comuns.

O vídeo abaixo (em inglês) indica 19 indústrias que a blockchain poderá ser capaz de revolucionar. Após o vídeo, indicamos alguns de seus possíveis usos, em diferentes estágios de amadurecimento.

Contratos inteligentes

Em um contrato inteligente, pagamentos são realizados automaticamente, assim que determinadas condições pré-estabelecidas sejam cumpridas. Por exemplo, imagine que uma empresa compra algodão orgânico certificado de um fornecedor. Um contrato inteligente pode fazer, automaticamente, pagamentos parciais, conforme remessas de algodão são entregues ao seu destino. Além de pagamentos, outras ações previamente combinadas entre as partes também podem ser efetuadas.

Economia compartilhada descentralizada

A economia compartilhada ganhou muita força nos últimos anos, como mostra o crescimento de empresas como a Uber, que permite a conexão entre um motorista e um passageiro. Porém, neste sistema ainda é necessária a figura de um intermediário, no caso a própria Uber. Isso a torna um exemplo de economia compartilhada, mas centralizada. E se fosse possível conectar motoristas e passageiros sem o intermediário? Blockchain tem este potencial e serviços deste tipo já estão surgindo.

Um exemplo é a Arcade City, que já oferece este serviço. Uma vantagem para os motoristas é o de que, ao excluir o intermediário da transação, eles não pagam taxas a uma empresa e retém 100% do valor da corrida.

Outro caso a Chasyr, criada por Tommy Marquez (ex-motorista da Uber), que está em fase de protótipo. Enquanto a Uber adota um sistema de avaliação de 5 estrelas para seus motoristas, a Chasyr pretende mostrar o histórico completo dos mesmos em sua blockchain. De forma que os usuários podem checar esse registro antes de contratá-los. Do outro lado, os motoristas saberão com mais detalhes o quanto eles foram bem sucedidos em suas viagens. Os pagamentos poderão ser feitos em uma criptomoeda própria.

Por fim, há um exemplo vindo de uma grande montadora de carros, a Toyota. A gigante japonesa está trabalhando em um serviço de compartilhamento de carros autônomos.

Todos os exemplos citados acima usam a blockchain da Ethereum para criar contratos inteligentes.

Mais um exemplo de economia compartilhada descentralizada que usa blockchain é o OpenBazaar. Trata-se de uma espécie de mercado livre peer-to-peer. Basta baixar o aplicativo e você pode negociar com vendedores da plataforma sem pagar taxas de transação.

Equity crowdfunding & ICOs

Blockchain pode levar o equity crowdfunding (crowdequity) a um novo patamar. Já há vários casos de sucesso neste sentido.

Em 2016, um projeto chamado DAO (Decentralized Autonomous Organization), baseado em Ethereum (plataforma de contratos inteligentes que usa a sua própria criptomoeda, o Ether), conseguiu captar USD $ 200 milhões em apenas dois meses. Os participantes compravam “DAO tokens” (ativos digitais baseados em Ether), permitindo-lhes votar, como acionistas, em investimentos de capital de risco executados por contratos inteligentes.

No final, a experiência da DAO acabou se tornando desastrosa, pois seu sistema foi hackeado e muitos investidores perderam os seus fundos. Porém, é importante notar: a blockchain em si não foi invadida. O que se invadiu foi o sistema da DAO, que apresentava falhas de segurança.

O evento da DAO criou o mercado de ICOs (Initial Coin Offering, ou Oferta Pública de Moedas), análogo aos tradicionais IPOs (Initial Public Offering, ou Oferta Pública Inicial) do mercado de ações. As ICOs têm o potencial de criar um novo mercado de capital de risco distribuído. Ainda é um tema controverso, pois outros casos como o da DAO já aconteceram, e há muita insegurança regulatória na maioria dos países, alguns tendo chegado a bani-las. Contudo, com o amadurecimento deste mercado, é possível que deixem de ser campo de mercado emergente e se tornem mainstream.

Governança

Com o uso de contratos inteligentes pode-se fornecer total transparência a eleições governamentais ou a qualquer outro tipo de votação. Veja mais adiante o caso da startup Mudamos+, que atua nessa área.

Auditoria de supply chain

Pode certificar a origem dos produtos vendidos por empresas, bem como a ética envolvida na sua fabricação. Por exemplo, certificando a origem de produtos sustentáveis cuja produção não envolve trabalho análogo à escravidão.

Armazenamento de arquivos

Ao se descentralizar o armazenamento, distribuindo-o em uma rede, evita-se que os arquivos possam ser hackeados ou perdidos.

Internet das Coisas

Contratos inteligentes tornam possível a automação do gerenciamento de sistemas remotos. Uma combinação de software, sensores e a rede facilita a troca de dados entre objetos e mecanismos. Com isso, ganha-se eficiência e reduz-se o custo de monitoramento.

Micro redes de energia renovável

Torna possível comprar e vender energia renovável gerada por micro-redes locais. Por exemplo, quando o painel solar de um vizinho produzir excesso de energia, um contrato inteligente pode redistribui-la.

Casos de sucesso: startups que adotam blockchain para gerar impacto social positivo

Não poderíamos deixar de falar dos negócios que usam a tecnologia para solucionar problemas sociais e ambientais. Apresentamos aqui seis casos de sucesso, sendo três startups brasileiras e três internacionais.

Moeda (Brasil)

Site

Sua missão é democratizar o acesso ao crédito e conectar microempreendedores a sistemas financeiros modernos e seguros, usando a sua própria moeda digital (MDA).

Fundada em 2017 após um hackaton promovido pela ONU com o objetivo de criar novas formas de contribuir para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), seu modelo de negócios foi o vencedor na ocasião.

Logo após o hackaton, sua ICO levantou US$ 20 milhões. Parte desses recursos foi transferido para um fundo rotativo, que irá fornecer investimento de impacto social. A Moeda anunciou que em 2018 irá investir cerca de US$ 1,5 milhão em 18 empreendimentos que atendam a pelo menos um dos 17 ODS e gerem um retorno direto para suas economias locais. Os financiamentos serão feitos em parceria com a Unicafes (União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária).

Assista a uma palestra de Taynaah Reis, uma das fundadoras da startup:

Mudamos+ (Brasil)

Site

Propõe-se a solucionar a dificuldade em se aprovar projetos de iniciativa popular. O maior desafio é o elevado número de assinaturas necessárias para que o projeto seja aceito pela Câmara dos Deputados. São cerca de 1,5 milhão de assinaturas, representando 1% do eleitorado, distribuídos em pelo menos cinco estados, com a adesão de no mínimo 0,3% dos eleitores de cada estado. Outro desafio é a possibilidade de fraude na coleta de assinaturas. Como verificar e garantir que todos os dados são verídicos?

O Mudamos+ é um aplicativo para criação e assinatura de projetos de lei de iniciativa popular de forma segura e simples. Promete ser mais seguro do que o registro em papel, justamente por usar a blockchain para verificar as assinaturas. Para garantir a veracidade dos dados, cada cidadão deve informar data de nascimento, CPF e título de eleitor. Ainda é possível rastrear o celular dos usuários via IMEI, número atrelado a cada aparelho.

Dessa forma, o Mudamos+ torna a coleta de assinaturas para projetos de iniciativa popular mais prática, barata e segura.

Assista a um estudo de caso sobre o aplicativo:

OriginalMy (Brasil)

Site

Esta startup oferece uma solução de registro de dados e documentos. Por meio dos seus serviços, é possível registrar a autenticidade desde livros a obras de arte, marcas etc., além de assinar contratos. E tudo isso pode ser feito por um aplicativo para dispositivos móveis.

Os signatários devem se cadastrar na plataforma, informar o seu CPF e enviar os documentos ou contratos que serão registrados.

É a primeira empresa do mundo a criar uma plataforma do tipo usando a rede do Bitcoin. Ela também oferece o serviço por meios das blockchains do Ethereum e do Decred.

Assista a esta apresentação da empresa:

Ascribe (Alemanha)

Site

Oferece serviços de registro de direitos autorais na internet, usando a rede da Bitcoin. Seu público-alvo são artistas e criativos independentes.

Segundo a startup, as vantagens da plataforma são:

  1. Registrar a propriedade da obra;
  2. Compartilhar seu conteúdo digital de maneira segura
  3. Ganhar visibilidade – a plataforma permite rastrear todos os sites em que sua obra aparece;
  4. Certificado de Autenticidade – cada registro é acompanhado de uma identidade criptografada;
  5. Edições digitais limitadas – é possível limitar o número de cópias feitas de suas obras e transferi-las de donos como se transferem obras de arte físicas;
  6. Licenciamento – é possível transferir, consignar ou emprestar as suas criações digitais.

Assista a uma palestra de Trent McConaghy, CTO do Ascribe.

Provenance (Reino Unido)

Esta startup britânica oferece soluções de registro de matéria-prima na cadeia produtiva. A plataforma permite que marcas demonstrem transparência radical, ao rastrear a origem e a história de seus produtos, assim como o seu impacto social e ambiental. O próprio consumidor pode reunir e verificar as informações na blockchain e compartilhá-las online.

O site da empresa afirma que sua missão é dar poder às pessoas para mudar a maneira como a economia global funciona, ao criar e fomentar informações abertas e acessíveis sobre produtos do dia a dia. E que sua crença é a de que as empresas devem ser bem sucedidas nos negócios e em servir as comunidades locais e global.

Assista a um vídeo com a fundadora do Provenance, Jessi Baker:

Everledger (Inglaterra)

Oferece soluções em certificação de diamantes, permitindo verificar a sua autenticidade, origem e custódia. Faz isso por meio de uma tecnologia chamada machine vision, que registra 40 “metadados” de cada diamante, criando uma “impressão digital” deles. Esta impressão digital é em seguida incluída na blockchain da empresa, que possui também opções de contratos inteligentes para fazer transações dos ativos.

Sua tecnologia ajuda a reduzir o risco e fraudes para bancos, seguradoras e mercado aberto. Além disso, permite ter certeza de que sua extração não foi feita em zonas de conflitos para financiar guerra, nem usou mão de obra em condições análogas à escravidão.

Assista a um vídeo com Leanne Kemp, CEO da empresa.

Como adotar blockchain no seu negócio

Agora você já entendeu o que é blockchain, quais são as suas principais vantagens e talvez esteja pensando em como ela pode ajudar a sua empresa. Mas como fazer isso? Do que você precisa? Veja abaixo.

Use uma plataforma de blockchain

Existem várias plataformas prontas que a sua empresa pode usar para criar a sua aplicação em blockchain. Entre elas, Hyperledger, Ethereum e HashGraph.

Outra plataforma é a IBM Blockchain. Suas vantagens são reduzir o tempo e o custo de desenvolvimento e obter o suporte de uma empresa tradicional e prestigiada como a IBM. Este serviço é usado pela Everledger, um dos casos de sucesso citados anteriormente neste artigo. Outros clientes incluem grandes empresas, como Nestlé, Walmart e Costco.

Crie sua equipe de desenvolvedores

Outro caminho é criar a sua aplicação em blockchain do zero. Para isso, será necessário ter uma boa equipe de desenvolvedores.

Algumas formações e habilidades desejados para esta equipe podem incluir: formação em Ciência ou Engenharia da Computação; experiência em fintechs; conhecimento profundo de métodos de consenso, blockchains e criptomoedas, algoritmos, criptografia e tecnologias decentralizadas; experiência em linguagens de programação como C, C++, JAVA e Python; conhecimento de base de dados distribuídos, como RDBMS ou NoSQL.

Barreiras e dificuldades na adoção de blockchain

  • Caso sua organização crie uma moeda digital, ou adote uma já existente, é preciso estar atento a marcos regulatórios, presentes ou futuros. Como a tecnologia é nova e controversa, a insegurança jurídica ainda é grande, não sendo impossível que países, incluindo o Brasil, banem totalmente as criptomoedas.
    • Por outro lado, é importante enfatizar, a adoção de uma blockchain não exige que se use necessariamente uma criptomoeda. Portanto, a blockchain em si não passa pela barreira regulamentatória;
  • Certifique-se de que a blockchain criada para o seu negócio não deve conflitar com outros processos operacionais da empresa;
  • Invista em segurança digital. A tecnologia de blockchain é hoje considerada “invulnerável”. Mas os sistemas criados em torno dela podem não ser. Lembre-se do caso da DAO, mencionado anteriormente;
  • Pode ser necessário evangelizar o seu público, explicando o que é blockchain e suas vantagens de uma maneira compreensível a leigos. Atualmente, poucas pessoas fora do setor de TI entendem o que é;
  • Profissionais especializados e com habilidade para usar a tecnologia ainda são escassos no país e podem custar caro.
Concluindo: blockchain como base tecnológica para uma nova economia

Se você chegou até aqui, já deve ter uma boa compreensão do que é blockchain e de alguns de seus muitos usos possíveis. Mas vamos resumir alguns pontos principais.

A blockchain:

  • Pode ser usada em negócios de base tecnológica de setores diversos;
  • Representa uma economia compartilhada de verdade, sem intermediários;
  • Torna possíveis transações mais rápidas, seguras, públicas e sem intermediários;
  • Gera valor compartilhado (inclusive monetário) às partes envolvidas, de acordo com regras novas e livres da economia convencional e instituições;

Blockchain já é considerada uma das tecnologias disruptivas mais importantes desde a Internet. É importante que startups, inclusive as de impacto social, estejam alinhadas às novas tendências tecnológicas e suas possibilidades.

Ela criou a base tecnológica para tornar a Internet das Coisas e a economia colaborativa úteis a uma nova economia: a economia da confiança e da liberdade. Que dá a cada ser humano a condição de exercer seu verdadeiro poder de se relacionar em um mercado livre de manipulação.

Se na economia convencional o impacto positivo não está sendo remunerado ou valorado adequadamente, com blockchain ele poderá ser. O céu é o limite e a sua criatividade é o combustível.


Sua startup de impacto adota soluções baseadas em Blockchain e precisa de apoio? Entenda o que fazer

Se você busca apoio para o seu negócio de impacto se fortalecer e escalar, há algumas atitudes que podem ser tomadas.

Uma é apresentar o seu negócio à Kaleydos por meio deste formulário. A Kaleydos, iniciativa do Instituto Jatobás, é uma plataforma de investimento e desenvolvimento de soluções e negócios que contribuem com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Busca e seleciona startups de impacto em estágio inicial, alinhadas a um ou mais ODS, com potencial de viabilidade e escalabilidade, impacto socioambiental mensurável e modelos de negócios inovadores. Saiba mais aqui.

Outra é cadastrar a sua startup na Pipe.Social, a maior vitrine de negócios de impacto socioambiental do Brasil. Você ganhará visibilidade entre investidores, aceleradoras, marcas, fundações, governos, mentores, investidores anjo, mídias e potenciais parceiros.


Imagem de capa: Wikimedia.


Sobre a Kaleydos

Kaleydos é uma plataforma de investimento e desenvolvimento de soluções e negócios alinhados aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Apoiamos negócios inovadores em estágio inicial de maneira personalizada mesclando mentoria, capital semente e co-gestão. Somos uma iniciativa do Instituto Jatobás. Clique aqui para saber mais sobre nós.

Assine a nossa newsletter mensal.

15 comentários