Kaleydos
Alexandre Lemille, economia circular

Economia circular é bom para os negócios, para o ambiente e para as pessoas, diz especialista em sustentabilidade

“Repensar e redesenhar nosso modelo econômico baseado no constante reuso de nossos recursos extraídos é uma modernização definitiva e uma evolução positiva da nossa economia padrão”, diz Alexandre Lemille

Fundador da Wizeimpact, uma consultoria especializada em negócios sustentáveis, Alexandre Lemille é um defensor do conceito de Economia Circular. Para ele, este modelo que propõe o reuso pela indústria de materiais que seriam descartados no processo de produção, é bom não apenas para o meio-ambiente, mas também para as pessoas e para os próprios negócios.

Em entrevista para a revista The Beam, Lemille se aprofundou sobre o assunto. Traduzimos aqui alguns trechos.

Em anos recentes, percebemos que nosso mundo não é apenas finito, mas que nós estamos atingindo os seus limites mais rápido do que o esperado. Repensar e redesenhar nosso modelo econômico baseado no constante reuso de nossos recursos extraídos é uma modernização definitiva e uma evolução positiva da nossa economia padrão. Recursos fósseis sem fim e crescimento exponencial apenas existem em um mundo industrial que inventamos nos últimos cem ano. A solução está no entendimento do valor do nosso estoque de materiais e como se pode reusar estes materiais e sempre manter o seu todo o seu valor. Isto levaria a menos CO2 emitido, menos atividades de extração, menos energia exigida para transformar nossos produtos e para usá-los, a mais valor dos recursos não usados que desperdiçamos hoje, a mais valor a nossas florestas como nosso estoque de oxigênio, mais valor sobre a preservação dos nossos solos para alimentar a mais pessoas e assim por diante. Isto é um avanço definitivo na história dos seres humanos.

(…)

Os principais benefícios são para os próprios negócios. Os riscos corporativos estão vindo de muitos ângulo, mas o principal é o acesso a matérias-primas usadas para manufaturar bens. O desafio que os negócios enfrentam é que nós estamos ficando sem alguns dos recursos subterrâneos mais importantes, o que levará a um aumento dos preços nos próprios anos, ou eles estão disponíveis, mas deveríamos planejar em mantê-los sob o solo, a menos que queiramos enfrentar o risco de ultrapassar o limite de 2 graus centígrados até o fim deste século. Assim, oferecer uma estratégia de negócio para aumentar a resiliência do negócio e, ao mesmo tempo, preservar nossos serviços ambientais é o maior benefício desta economia.

Redação Kaleydos

Assine nossa newsletter

Preencha os campos abaixo para receber nossa newsletter mensal.
E-mail *
Nome
Sobrenome
Organização
Cargo
*Campo obrigatório

3 comentários