Kaleydos

Festival de Inovação Social chega à terceira edição no Grajaú

Não perca oportunidades para o seu negócio de impacto. Assine a nossa newsletter mensal e mantenha-se informado sobre tudo o que acontece no setor 2.5. Não se preocupe, também não gostamos de spam. :-)

Da Página22

O quê: Festival Red Bull Amaphiko

Quando: dias 15 de dezembro (das 11h às 19h) e 16 de dezembro (das 11h às 21h).

Local: Centro Cultural Grajaú – R. Prof. Oscar Barreto Filho, 252 (Próximo à estação Grajaú da CPTM) São Paulo-SP

Entrada: gratuita

O Festival Red Bull Amaphiko chega à terceira edição para reunir, fortalecer e celebrar inovadores sociais. O evento é gratuito e ocorre nos dias 15 e 16 de dezembro, no Centro Cultural Grajaú. Realizado anteriormente no centro de São Paulo, o evento passa a ocorrer no extremo Sul, com a intenção de reconhecer um território que já inova socialmente há bastante tempo. A programação conta com oficinas, performances, painéis, rodas de conversa, exibição de filme, exposições, shows, intervenções e feira.

Durante os dois dias, a programação contará com oficinas de moda consciente, elaboração de projetos, autocuidado e permacultura; rodas de conversa com pessoas referência no empreendedorismo (como Adriana Barbosa, da Feira Preta), líderes locais (como Jera Guarani, índia da aldeia Tenondé Porã)  e feira com empreendedores da região. O skatista Sandro Dias fará a inauguração de uma pista de skate no bairro, como parte do projeto Red Bull Do It Yourself e também estará no festival para contar sobre a ação.

Entre as atrações musicais, haverá roda de samba com os grupos SVPC, Pagode da 27 e Samba da Praça. O coletivo Graja Minas convida a rapper Drik Barbosa para um show, e o evento se encerra com a festa de dancehall Jah!spora, com participação de Lei di Dai, empreendedora social criadora do Gueto pro Gueto e rainha brasileira do dancehall.

Acreditando no poder da construção coletiva, a Red Bull Amaphiko convidou cinco coletivos locais para fazerem a curadoria de todo o festival. São eles: Periferia em Movimento, Nóis por Nóis, Casa Ecoativa, Imargem e Abebé, além do produtor independente Leandro Sequelle. A proposta do evento é mostrar o que já há de potente no Grajaú e, por isso, grande parte da agenda será composta por artistas e empreendedores da região.

Os resíduos gerados no festival serão geridos por coletivos e durante o evento haverá atividades mostrando a diferença entre resíduo e lixo.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA :

>>> Dia 15/12

Calçadão

> 11h00 – 11h30: Apresentação com grupo de Capoeira Semente do Jogo de Angola

>11h30 às 19h: Feira de Alimentação Saudável: Produtos orgânicos, artesanais e outras delícias da gastronomia grajauense.

> Intervenções:

  • Lixeiras-obra, artista Alexandre Quincas: lixeiras unindo estética, utilidade e reutilização de materiais descartados.
  • Barco à vela, projeto Navegando nas Artes: barco da iniciativa que promove vivências náuticas na Represa Billings
  • Painéis de grafite, coletivo Imargem
  • Ambulante Marginal: uma obra de arte móvel e multimídia, inspirada nas formas de comunicação populares atuantes no Grajaú.

> 12h – 14h: Alimentando Pontes: troca de saberes com chefes de cozinha do lado de lá da ponte com chefes do lado de cá da ponte.

> 14h30 – 16h: Debate-papo: deserto alimentar – Roda de conversa sobre a comercialização e acesso à alimentação natural e orgânica nas quebradas.

Cinema
> 11h30 – 13h: Debate-papo – Reinventar para resistir: trajetórias de quem vive do que acredita e a importância de se reinventar no meio do caminho. Com Salloma Salomão, Dorothy de Souza  e Jerá Guarani. Mediação de Cristiane Rosa.

> 14h – 15h30: Papo-reto – Extremo Sul: identidades, território e resistência. Papo com quem está por trás das iniciativas e como percebem as suas atuações no território. Com Pantchos Hamburgueria / Espaço Cultural Cazuá / A Bordar Espaço Terapêutico / Escritureiros / Perifeminas / Navegando nas Artes 
> 15h30 – 16h: Debate-papo – Skate na quebrada com Sandro Dias e Douglas Fontes
> 16h – 17h: Papo-reto – Extremo Sul: identidades, território e resistência com Boom Box / A7MA / Cooperpac / Asé Ylê do Hozooane / Quebramundo
> 17h – 17h30 – Documentário “O Olhar do Trabalho – A Outra Face do Lixo”, por Núcleo Pele

> 17h30 – 19h: Debate-papo – Redes que fortalecem o trampo: Como as redes se formam e quais os desafios para mantê-las unidas por um objetivo comum. Com Ciléia Biaggioli (Teatro Rocokóz) / Adriana Barbosa (Feira Preta) e Leandro Sequelle.

Saguão

> 11h – 19h: Exposições – Imargens Humanas (Imargem) e O Poder Feminino (Abebé)


Teatro
> 14h – 16h: Oficina – Como tirar sua ideia do papel: estruturar projetos com metodologias facilitadas, aplicativos e ferramentas acessíveis

> 17h – 19h: Oficina  – Audiovisual para todxs: técnicas do cinema de maneira facilitada, em busca do empoderamento tecnológico.

Sala Vermelha
> 14h – 16h: Oficina – Saberes ancestrais: vivência afro-indígena e socioambiental sobre natureza, pessoas e sustentabilidade.
> 17h – 19h: Oficina – Constelação familiar: Introdução aos conceitos dessa reveladora e potente técnica de ressignificação de sentimentos.

>> às 9h: inauguração da pista de skate no Parque Linear Cantinho do Céu, com o skatista Sandro Dias

>>> Dia 16/12

Calçadão

>11h30 às 19h: 
Feira de Alimentação Saudável: Produtos orgânicos, artesanais da gastronomia grajauense.

11h30 às 21h

> Feira de empreendedores locais: gastronomia, artesanato, moda e outros talentos da economia local do Grajaú.
> Intervenções: Lixeiras-obra, Barco à vela, Painéis Grafite e Ambulante Marginal

Calçadão (Palco)

> 12h – 13h:  Roda de samba – Guga Samba e Cia convida SVPC / Pagode da 27 e Samba da Praça, todos grupos de samba/pagode da região
> 14h30 – 15h30: Aula de dança com os fellows da Red Bull Amaphiko: Flora Bitancourt (Movimentarte), Lucas Santos (Favela em Dança) e Rubens Oliveira (Gumboot). Três empreendedores sociais que utilizam estilos de dança diferentes em seus projetos. 
> 17h30 – 18h30: Graja Minas convida Drik Barbosa
O grupo formado por MCs, cantoras e articuladoras culturais convida a rapper para apresentarem canções autorais, enaltecendo a resistência feminina.

>  20h – 21h30: Festa Jah!spora convida Lei di Dai 
Festa que celebra a igualdade, coletividade e diversidade com os ritmos dancehall, afrobeats, hip-hop e funk e para esta edição convidam a cantora Lei di Dai, referência do dancehall brasileiro e fellow Red Bull Amaphikocom o projeto Gueto pro Gueto. Existência, resistência e coletividade. Brasil, Jamaica e África, juntxs na pista.

Calçadão (Arena)
> 11h – 12h: Contação de História – Chico contador e a arte de contar histórias no bom e velho estilo caipira de ser. Com projeto De Canto em Canto – De Conto em Conto

> 13h30 – 14h30: Um show de variedades Palhacísticas. Com Teatro de Rocokóz
> 16h30 – 17h30: Sarau das Pretas: a cultura, o feminino e o ancestral nas palavras, tambores e corpos de mulheres negras.

> 19h – 20h: Batalha de conhecimento com Grajaú Rap City

Teatro/Jardim
> 11h – 12h: Oficina – Permacultura urbana: introdução a técnicas de permacultura urbana com foco para pequenos espaços como compostagem, hortas e cisternas.
> 13h – 14h: Oficina – Ginecologia natural: Saúde feminina e ferramentas para buscar autoconhecimento, autocuidado e autonomia.
> 14h30 – 15h30: Debate-papo – Permacultura na Quebrada: coletivos periféricos e suas perspectivas na busca por qualidade de vida.

> 16h – 17h: Oficina – Como empreender sem enlouquecer: dicas para manter a saúde mental e se cuidar na montanha russa do empreendedorismo.

Saguão

> 11h – 19h: Exposições – Imargens Humanas (Imargem) e O Poder Feminino (Abebé)


Sala Vermelha
> 13h – 14h30: Oficina – Estética afro-indígena: técnicas sustentáveis e acessíveis para criar uma rotina de cuidados com a pele.

> 15h30 – 17h: Oficina – Moda consciente: a moda de forma criativa e sustentável, suas manifestações práticas, o garimpo e a rede de brechós do território.

Redação Kaleydos

Faça um comentário