Kaleydos
negócios de impacto amazônicos

Programa de aceleração apoia 15 negócios de impacto amazônicos

PPA ajudará startups do Amazonas e do Pará a gerar transformação socioambiental durante o ano de 2019

Os desafios sociais, econômicos e ambientais da Amazônia são terreno fértil para a criação de negócios de impacto. São empreendimentos com o potencial de fomentar uma economia inclusiva (por exemplo, focando-se em comunidades ribeirinhas, indígenas, quilombolas e agricultores familiares) e práticas de negócios ambientalmente sustentáveis.

Com isso em mente, em fevereiro de 2018 a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) iniciou seu programa de aceleração voltado a negócios de impacto amazônicos. A iniciativa prevê a realização de workshops, mentorias, assessoria jurídica e contábil, bolsas de estudo, e espaços de coworking. 15 startups sediadas no Amazonas e no Pará participam dessa primeira edição.

Conheça os negócios participantes

As startups selecionadas são negócios de diferentes formatos e em diferentes estágios de maturidade. São de microempreendedores a sociedades limitadas e cooperativas, que atuam em áreas tão distintas como gastronomia e robótica, passando também por resíduos sólidos, piscicultura, meliponicultura, extrativismo, agricultura e artesanato.

Os participantes são:

  • 100% Amazônia;
  • Awí Amazon Fruits;
  • Broto Tecnologia Agrícola;
  • Chocolates De Mendes;
  • Coopmel;
  • Da Tribu;
  • Ecopainéis de Fibra de Açaí;
  • Encauchados de Vegetais da Amazônia;
  • Manaos Tech;
  • Manioca;
  • Onisafra;
  • Peabiru;
  • Ração Mais;
  • Sustente Ecosoluções;
  • Tipiti.

Quem são os responsáveis pelo programa?

Trata-se de uma iniciativa da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), que reúne empresas e parceiros que atuam com novos modelos de desenvolvimento não predatórios para a Amazônia. A PPA foi também responsável pelo 1º Fórum de Investimentos de Impacto e Negócios Sustentáveis na Amazônia (FIINSA), em novembro de 2018.

O programa é coordenado pelo Instituto de Conservação e Desenvolvimento da Amazônia (Idesam) com apoio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid) e do Centro Internacional de Agricultura Tropical (Ciat), além de contar com parceria de outras instituições.

Empreendedores são apresentados ao Modelo C

Em uma das primeiras atividades dos programas, os empreendedores foram apresentados ao Modelo C, metodologia inovadora que une o Business Model Canvas à Teoria de Mudança.

Canvas é uma das ferramentas mais usadas por empreendedores para a modelagem de negócios, enquanto a Teoria de Mudança costuma ser adotada por negócios de impacto e negócios sociais para definir como produzirão impacto social positivo.

O Modelo C foi desenvolvido pelo Sense-Lab e pela Move Social, com apoio do Instituto de Cidadania Empresarial (ICE) e da Fundação Grupo Boticário.

Para saber mais sobre metodologias úteis a empreendedores de impacto, leia esta matéria produzida pela Kaleydos em parceria com a Pipe.Social.

Saiba mais sobre negócios de impacto na Amazônia

A Kaleydos já publicou uma série de outras matérias sobre o tema. Confira abaixo algumas delas:

Fórum de investimentos e negócios sustentáveis se encerra com investimentos de mais de R$ 1 milhão em startups amazônicas com impacto socioambiental

Amazônia: Negócios de Impacto podem proteger as florestas ao melhorar a vida das pessoas

Projeto Encauchados inova na produção da borracha e garante a inclusão social e a conservação da floresta

SITAWI promove ação de desenvolvimento territorial na Amazônia

Kaeté desenvolve novo fundo de investimento para restauração florestal na Amazônia


Com informações da Página 22

Foto: Mônica C. Ribeiro (Página 22)

Redação Kaleydos

Assine nossa newsletter

Preencha os campos abaixo para receber nossa newsletter mensal.
E-mail *
Nome
Sobrenome
Organização
Cargo
*Campo obrigatório

Faça um comentário