Kaleydos

PanoSocial: empresa produz moda sustentável empregando ex-detentos como mão de obra

Empresa adota modelo de negócios que gera impacto positivo ambiental e social, apostando em dar uma segunda chance ex-detentos que buscam se ressocializar

Não perca oportunidades para o seu negócio de impacto. Assine a nossa newsletter mensal e mantenha-se informado sobre tudo o que acontece no setor 2.5. Não se preocupe, também não gostamos de spam. :-)

A PanoSocial é um bom exemplo de como um modelo de negócios pode solucionar importantes problemas sociais e ambientais. O Kaleydos conversou com seus sócio-fundadores, Gerfried Gaulhofer  e Natacha Lopes, que nos explicaram que empregam egressos do sistema prisional (ex-detentos) para a confecção de produtos têxteis ambientalmente corretos. Seu modelo segue o conceito de negócio social, teorizado por Muhammad Yunus, em que todo o lucro é reinvestido na própria empresa, para aumentar o seu impacto social positivo.

Assista à entrevista no vídeo acima.

 

Impacto ambiental: investindo em moda sustentável

Os principais produtos da PanoSocial, desenvolvidos para a sua própria grife e para outras marcas, são camisetas, ecobags, aventais e uniformes com matérias-primas ecológicas e processos produtivos sustentáveis. Na confecção, usam como matérias-primas: 100% Algodão Orgânico, Pigmentos Naturais, 100% PET Reciclado, Algodão Reciclado.

Segundo Natacha, comer e se vestir com produtos orgânicos não é mais questão de tendência.

É questão de sobrevivência. O algodão convencional é [representa] 3% da agricultura mundial, mas ele leva 25% de todo o agrotóxico usado no mundo. É muito brutal para a terra e para a saúde humana. 20 mil agricultores morrem por ano nas lavouras de algodão convencional. 70% [deles] de câncer. O Brasil é o 5o maior produtor de algodão convencional a nível mundial e é uma importante reserva natural hídrica. Então [é importante] olhar para isso, para o cuidado com a nossa terra, o que a gente está vestindo.

 

Impacto social: a ressocialização de ex-detentos, uma segunda chance a quem merece

A mão de obra da empresa é formada por egressos do sistema prisional, que encontram dificuldades em se recolocar no mercado de trabalho. Os egressos chegam a eles por indicações de instituições parceiras, como a Pastoral Carcerária e o Segunda Chance, além de anúncios em mídias sociais. Além disso, a mão de obra também pode ser indicada a fornecedores terceirizados.

Uma equipe técnica formada por assistente social e psicólogo fazem uma triagem dos interessados em trabalhar na empresa. À princípio, são contratadas pessoas com habilidade em corte e costura, que precisam de capacitação e especialização, as quais são feitas em parceria com escolas e instituições.

Natacha explica que 80% do horário de trabalho é voltado para a produção. Enquanto 10% do tempo é usado para capacitação e os 10% restantes para o desenvolvimento humano, que inclui práticas como a meditação.

Segundo ela:

A ressocialização é parte do trabalho. A gente costuma dizer que todos merecem uma segunda chance. Ou muitas vezes a primeira. A gente vive questões sociais no Brasil sérias. Ninguém nasceu para matar ou pra roubar. A gente sempre questionou o que leva uma vida a esse ponto. E oportunizar trabalho é uma forma de promoção da paz social. Aquele que cumpriu pena e passou pelo sistema prisional não quer voltar. Precisa, busca e merece uma oportunidade. Normalmente são pessoas muito gratas e trabalham com muito afinco.

 

Que resultados a PanoSocial está tendo?

Atualmente, trabalham na empresa 6 egressos do sistema prisional. Planeja-se empregar 20 egressos até o final de 2018.

Segundo Gerfried:

O nosso impacto vai muito além. Existe hoje uma grande falta de mão de obra no ramo têxtil, na de confecção especialmente. Especialmente depois da abertura do mercado da China. Muitas empresas já fecharam. E do outro lado a gente está trabalhando também com o preconceito que existe na sociedade. Todo o egresso paga a pena dentro do presídio, mas ele continua preso no preconceito perante a sociedade. E isso a gente enxerga como totalmente desnecessário. Ainda mais quando a maioria dos delitos… as pessoas vão presas por causa de delitos muito pequenos. Não é que todo egresso é uma pessoa perigosa para a sociedade.

 

O papel da Bemtevi: investimento, gestão e crescimento

A Bemtevi é uma empresa que investe em negócios sociais. Este investimento não é feito apenas com aportes financeiros, mas também com apoio e assessoria. A PanoSocial é o primeiro negócio a receber investimentos deles.

Gerfried explica a Bemtevi presta ajuda em relação a gestão, planejamento, acessoa a mercados, apoiando-os em seu crescimento:

A Bemtevi ajuda onde é necessário. Ela detecta os pontos mais fracos da PanoSocial e conectam com outras pessoas do mercado que trazem apoio.

Veja abaixo algumas fotos da PanoSocial

 

 

Gabriel Mallet Meissner

Editor da plataforma Kaleydos.

1 comentário