Kaleydos

Plano de negócio é o primeiro passo para empreender

Para abrir um pequeno negócio, não basta uma boa ideia, é preciso planejamento, busca de informações e ajuda de especialistas

Da Agência Sebrae de Notícias

Atualmente, pelo menos 48 milhões de pessoas com idade entre 18 e 64 estão envolvidas em um pequeno negócio no Brasil e a expectativa é de que até o final de 2019, serão pelo menos 17,7 milhões de micro e pequenas empresas no país. Segundo a pesquisa GEM/2018, ter seu próprio empreendimento é o quarto sonho dos brasileiros. Mas, para que isso aconteça, uma boa ideia não basta. É preciso, antes de tudo, fazer um planejamento detalhado, que é o plano de negócio, instrumento ideal para pensar cuidadosamente cada uma das etapas que antecedem a abertura ou expansão da empresa e a própria viabilidade do empreendimento.

O plano de negócios é quem vai dar a segurança necessária ao empreendedor para que ele tenha êxito na criação ou ampliação do negócio ou até na promoção de inovações. Será por meio dele que o futuro empresário vai verificar a viabilidade de sua ideia e buscar informações mais detalhadas sobre o ramo de negócio em que ele pretende investir, além dos produtos e serviços que irá oferecer, quem serão seus clientes, seus concorrentes e fornecedores. É também na formatação do plano de negócio que o empresário vai identificar os pontos fortes e fracos do seu negócio. Ao final, o plano vai ajudar o empreendedor ou futuro empresário a avaliar se vale a pena abrir, manter ou ampliar o empreendimento.

Foi o que fizeram Samar e o marido Nijed Semann, antes de começar a comercializar a pasta de alho “Oh my garlic”, no Distrito Federal. No começo, restrito ao restaurante da família, o produto era bastante apreciado pela freguesia, o que levou o casal a pensar em entrar no mercado de Brasília. “Fizemos um plano de negócio bem elaborado com a ajuda do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), pesquisamos preços e conversamos com consumidores”, afirma a empresária, explicando as medidas tomadas antes de começar a vender a pasta em grande escala.

“A proposta básica do plano de negócios é que ele seja uma bússola para mostrar o caminho que o empreendedor vai tomar”, afirma o especialista em empreendedorismo do Sebrae, Enio Pinto. Ele explica que, em primeiro lugar, é preciso construir um roteiro e definir em qual segmento a empresa irá atuar, seja no comércio, serviços ou indústria. Depois, é necessário sair a campo para buscar informações, por meio de consultores do Sebrae, que fazem o atendimento gratuitamente, ou de profissionais que já atuam no ramo desejado pelo futuro empresário. Em seguida, conforme Enio, é preciso fazer uma autoavaliação para definir quem ficará à frente do negócio.

O conhecimento sobre o mercado um aspecto extremamente relevante no plano de negócio, comenta o especialista. “Isso envolve uma análise cuidadosa sobre o fornecedor, a concorrência e o consumidor”, explica Enio. “O empreendedor tem que saber se quem vai fornecer os insumos tem qualidade, quais serão seus principais concorrentes e quem é o seu cliente potencial, definindo o perfil e o quantitativo do público-alvo”, acrescenta. Além disso, outro fator crucial no planejamento do negócio é a questão financeira. O futuro empresário precisa saber quanto vai precisar para investir no empreendimento e de onde vai tirar os recursos, bem como avaliar se a margem de lucro será suficiente para a saúde do negócio.

“O Sebrae conta com um curso online – Iniciando um Pequeno Grande Negócio(IPGN) – que tem o objetivo de qualificar o empresário para fazer seu plano de negócio, e que pode ser realizado de forma presencial ou por meio da internet”, observa Enio. Ele ressalta que, após isso, o empreendedor poderá fazer o Empretec, uma metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) que busca desenvolver características de comportamento empreendedor, bem como identificar novas oportunidades de negócios. O método no Brasil é realizado pelo Sebrae desde 1993.

Os principais passos para se fazer um plano de negócio

  • Procure definir os objetivos do negócio
  • Quais os principais produtos e/ou serviços
  • Quem serão seus principais clientes
  • Onde será localizada a empresa
  • O montante de capital a ser investido
  • Qual será o faturamento mensal
  • Que lucro espera obter do negócio
  • Em quanto tempo espera que o capital investido retorne

Redação Kaleydos

Assine nossa newsletter

Preencha os campos abaixo para receber nossa newsletter mensal.
E-mail *
Nome
Sobrenome
Organização
Cargo
*Campo obrigatório

Faça um comentário