Kaleydos

Saiba o que o investidor anjo espera e o que ele não tolera em startups!

Anjos do Brasil orienta empreendedores sobre o que não fazer para atrair investimentos para suas startups


Em resumo:

  • Empreendedores que desejam atrair investimento-anjo devem: 1) conhecer profundamente o mercado em que atuam; 2) estar de acordo com lei; 3) conhecer a dinâmica de investimentos; 4) ter dedicação integral ao seu negócio; 5) nunca mentir sobre problemas na empresa ou omitir informações.

Originalmente publicado pela Anjos do Brasil

Você tem uma startup, mas não sabe o que fazer na hora ou antes de receber o investidor? Nós te damos algumas dicas que podem te ajudar!

A primeira possibilidade é quando você ainda não tem ideia por onde começar:

Nesse caso, a melhor alternativa é começar a pesquisar na internet, pesquise muito! Você deve se aprofundar e conhecer bem o mercado em que você pretende atuar. Mas apenas isso não é suficiente, por isso, pergunte para quem sabe! Não deixe de procurar orientação de outros empreendedores que já tenham experiência no mercado, vá em eventos e palestras sobre investimento anjo e sobre o ecossistema de inovação, assim você cria repertório e também uma rede de contatos que poderá te ajudar e, quem sabe, indicar um possível investidor anjo?

Se você já fez essa primeira etapa, sabe tudo sobre seu mercado  e tem um bom modelo de negócios, é hora de ver o outro lado, ou seja, entender o lado do investidor!

Do ponto de vista do investidor, o que o empreendedor precisa fazer?

– O investidor anjo quer que você faça tudo legalmente! Ele tem como premissa básica de que o empreendedor e sua startup estejam de acordo com a lei.

– Conheça temas que se relacionem com o negócio e o processo de investimentos.

– Conheça a dinâmica de investimento: muitas vezes o empreendedor tem uma boa empresa, um bom negócio, mas não tem conhecimento sobre o processo de investimento e seu ciclo, ou seja, que esse processo demanda tempo e uma série de documentos, tais como Term Sheet (documento de intenções), auditoria dentro da companhia, e só depois os documentos definitivos e o contrato de investimento.

– Tenha dedicação integral. A alma do negócio em uma startup não é a marca, mas sim o empreendedor. Por isso, em muitos casos, o investidor verifica se o empreendedor possui a maior parcela da empresa e até pode solicitar que não o empreendedor não venda sua participação porque dessa forma ele se mantém estimulado, já que é dono do seu negócio.

O que o investidor tolera?

O investidor tolera alguma tomada de risco dentro do processo de informalidade, desde que o esteja ciente desse risco.

O que o investidor não tolera?

– Mentira e omissão de informações. Se você está com algum problema na sua startup, ou se mesmo se não está com a receita desejada, não esconda isso do investidor! Seja sempre transparente, dessa forma, vocês criam uma relação de confiança.

O que fazer?

– Ter um acordo de sócios, com todas as regras escritas. Isso ajudará o investidor a entender o funcionamento da sociedade de forma clara. Dentro desse tópico, também precisamos abordar outros dois pontos: Tenha sócios, não tenha amigos que sejam sócios porque é necessário manter em primeiro lugar a relação profissional.

–  Outro ponto, nem sempre uma sociedade de 50% x 50% é a melhor. Para a startup dar certo, é necessário que alguém seja o responsável final pela de  tomada de decisões específicas, isto precisa estar claro no contrato ou no acordo de sócios.

E principalmente, aja dentro da lei, o que inclui:

– Não deixar de pagar tributos e impostos

– Tenha as licenças aplicáveis ao negócio, como alvará, licença ambiental etc.

– Contrate funcionários de forma regular

– Proteja ou registre a propriedade intelectual

– E por fim, fale sempre com um bom advogado e contator para fazer a empresa funcionar!

Photo credit: Pricenfees via Visual Hunt /  CC BY

Sobre a Kaleydos

Kaleydos é uma plataforma de investimento e desenvolvimento de soluções e negócios alinhados aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Apoiamos negócios inovadores em estágio inicial de maneira personalizada mesclando mentoria, capital semente e co-gestão. Somos uma iniciativa do Instituto Jatobás. Clique aqui para saber mais sobre nós.

Assine a nossa newsletter mensal.

Faça um comentário